domingo, 1 de fevereiro de 2009

Poema para político de triste figura com escura sombra

SÍMBOLO

O Sol
pôs, na parede, a sombra do seu corpo pequenino
- que já fazia sombra -
e que o menino
descobriu.

Erguendo o braço
quis tocar a sombra
mas a sombra fugiu.

Tentou de novo e novo
mas nunca a sua mão pôde tocar-lhe.

Desanimado,
olhou o Sol de frente
e encontrou novidade
no caminho da luz

Mas, atrás dele,
ia a sombra
....................- teimosa -
......................................a persegui-lo.

Álvaro Feijó

1 comentário:

Lai Cruz disse...

Deixei um mimo para ti no meu blog.
Um abraço

A Caçadora de Tesouros
(que Não entregou O.I.)