segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Opinião (JN) - Honório Novo

Sobre avaliações
08.12.2008

Durou um dia a aparente distensão entre a equipa da Educação e a Plataforma Sindical dos Professores. E desta vez não restam dúvidas, é mesmo o Governo quem está empenhado em fechar a janela de oportunidade negocial aberta pela iniciativa sindical de suspender as greves regionais desta semana.

Por mais estranho que pareça foram até afirmações da ministra no Parlamento que deram o mote à iniciativa sindical. De facto, nunca se tinha ouvido Lurdes Rodrigues dizer que estava disposta a "negociar tudo", incluindo um modelo de avaliação alternativo ao que anda a impor, ainda que para ser aplicado só no ano lectivo seguinte!... Perante uma ténue hipótese de reatar o diálogo sem condicionar a negociação à "melhoria" do modelo oficial, permitindo apresentar e defender formas de avaliação alternativas ou diferentes, os sindicatos propuseram retomar as negociações, anunciando, logicamente, a suspensão das greves anunciadas.

Vinte e quatro horas depois, um governante veio a terreiro dar provas da maior irresponsabilidade política: corrigiu o tiro das declarações da ministra, omitindo-as ou desvalorizando-as, e "informou" o país que, afinal, o modelo de avaliação que motivou a histórica greve da passada quarta-feira, é para manter…

Seria risível e patético se não fosse tão grave e não pudesse ter consequências tão sérias. O Dr. Pedreira parece ser mais um perigoso agitador a fomentar o clima de crispação nas escolas- que assim se pode acentuar - que braço direito da actual política (des)educativa.

Será que o PS já considera eleitoralmente perdidos os professores (a maioria dos quais o apoiou em 2005)? Será que o Governo vai mais uma vez tentar virar os pais contra os professores, tentando compensar aí aquela perda eleitoral? Mas será que o PS se esqueceu que pais e encarregados de educação não são parvos e - muitos deles - são também professores? Será que a cegueira política se instalou definitivamente no Largo do Rato?

in Opinião (JN) - Honório Novo (08.12.2008)

3 comentários:

António disse...

Fiquei um pouco perplexo por verificar que o movimento "Em Defesa da Escola Pública" passou ao lado do Encontro Nacional das Escolas em Luta, apesar das suas posições muito críticas sobre o Memorando de Entendimento. É possível esclarecer esta aparente contradição?

Pedro Luna disse...

Com certeza:

http://emdefesadaescolapublica.blogspot.com/2008/12/sobre-nossa-deciso-de-no-participar-na.html

António disse...

Agradeço o pronto esclarecimento que li, com toda a atenção, bem como os comentários. E registo uma frase que me agradou, sobremaneira, e espero esteja sempre presente nos vossos procedimentos:
"Os movimentos apenas existem para servir os professores e apoiar a sua luta"
Cumprimentos