domingo, 9 de março de 2008

Cem mil razões para acreditar!

Hoje estou feliz - o dia de ontem é daqueles que um homem recordará para toda a vida. Dá gosto ver tanta gente (e ainda por cima mandatada pelo restantes que não puderam ir...) mostrar que há Homem e Mulheres livres nesta terra. Quebrando as correntes e grilhetas de medo que nos quiseram (ainda querem?!?) impor, nós podemos - Yes, we can!

A nossa luta, pela nossa dignidade, pela Escola, pelos alunos, por uma sociedade democrática e fraterna ainda não acabou. Não podemos dar-nos por felizes porque fizemos a maior manifestação de sempre de professores (e mesmo de qualquer profissão). Há que recordar a vergonha da actuação dos chefes que deram ordens à PSP para ir às Escolas saber quem ia participar e quem mandou parar às portas de Lisboa muitos autocarros. Há que responder a Ministros autistas que não querem ver o que todos viram, sejam eles especialistas em Educação (a de hoje e o de há uns anos atrás) ou especialistas em disparates e aeroportos. Há que meter no sítio certos os comentadores e spin doctors de pacotilha que passaram os últimos tempos a envenenar tudo e todos contra a nossa luta. Há que explicar que éramos muitos porque estamos unidos e não houve mãozinha de partidos no nosso esforço: que pagámos os transportes, que não passámos por Fátima com velhinhos para encher a casa, que já não há bicho papão, por mais feio que seja, que nos assuste. Há que saber dizer que iremos resistir aos ditadorzecos de trazer por casa das Escolas, moços de recado e cópias pechisbeque de uma sinistra senhora sombria que nos assombra o sono, mais às suas fichas, ameaças e rede de interesses.

Do colega professor, precocemente falecido, Sebastião da Gama, celebremos o nosso Dia com uma bela poesia!

O SONHO

Pelo sonho é que vamos,
Comovidos e mudos.
Chegamos? Não chegamos?
Haja ou não frutos,
Pelo Sonho é que vamos.

Basta a fé no que temos.
Basta a esperança naquilo
Que talvez não teremos.
Basta que a alma demos,
Com a mesma alegria, ao que é do dia-a-dia.

Chegamos? Não chegamos?

-Partimos. Vamos. Somos.


Sebastião da Gama, Pelo Sonho é que Vamos

1 comentário:

Jorge Martins disse...

Também eu senti ORGULHO em ser professor e em ter vivido a GRANDE JORNADA CÍVICA de ontém.
E sento-me, igualmente, FELIZ POR NOS VER TODOS UNIDOS: novos e menos novos, sindicalizados ou não, da direita ou da esquerda, de todas as disciplinas e ciclos de ensino.
Há que continuar a "malhar o ferro enquanto está quente" e manter a pressão sobre o governo, que começa a dar alguns sinais de desorientação.
FORÇA COLEGAS! JUNTOS VENCEREMOS!